FUNDAÇÃO APRESENTA PROGRAMAÇÃO COMEMORATIVA DOS 100 ANOS DA CHEGADA DE PADRE ALBINO A CATANDUVA

Mauro Assi segunda-feira, 23 de abril de 2018

Fundação Padre Albino100 Anos Padre Albino

           A Fundação Padre Albino reuniu na manhã do último dia 23 de abril seus membros conselheiros, autoridades e convidados para apresentar a programação especial elaborada para comemorar importante data para Catanduva e região: os 100 anos da chegada de Padre Albino a Catanduva, que coincide com a comemoração dos 100 anos do município e os 50 anos da transformação da Associação Beneficente de Catanduva na Fundação Padre Albino.

            A programação, apresentada pela Profª Drª Silene Fontana, tem início neste sábado (28), com missa de abertura, às 10h00, Igreja Matriz de São Domingos, e será encerrada em dezembro, com gincana entre os Departamentos da Fundação.

            Durante esse período serão realizados muitos eventos e ações para marcar a data, entre eles: filme documentário; projeto mosaico; exposição de fotos; peça teatral com texto dos atores Carlinhos Rodrigues e Drika Vieira; ação nos bairros em parceria com a Prefeitura Municipal; campeonato de futebol society; show com Edson e Hudson, gratuito para funcionários celetistas e cobrança de ingresso e venda de mesa para o público externo; entrega de medalhas a funcionários; lançamento da atualização do livro sobre Padre Albino; congresso “Catanduva + 100: Prefeitura e Fundação Padre Albino pensando o futuro”; concursos de redação, de desenho e de curta metragem; inauguração do Serviço de Radioterapia/HCC e plantio de 100 mudas de ipês no entorno interno do Hospital Emílio Carlos. Toda a programação está no site específico dos 100 anos – www.fundacaopadrealbino.org.br/100anos

            Em seu discurso de encerramento, o presidente da Diretoria Administrativa da Fundação, José Carlos Rodrigues Amarante, disse que não teve a felicidade de conhecer pessoalmente Padre Albino, mas imaginava, pelos relatos dos historiadores e de pessoas que conviveram com ele, se aprovaria o que estava sendo feito e no decorrer dos próximos meses, justamente por ser avesso a homenagens e condecorações pessoais. “Creio que ele abriria uma exceção e nos perdoaria; afinal, não é todo dia que se comemora um centenário da chegada de uma pessoa que fez tanto por muitos”, ressaltou, acrescentando que “humilde que era, provavelmente dividiria as homenagens com outros, afirmando que tudo o que fez, não fez sozinho. Atitude digna dos grandes homens”.

            No entanto, Amarante frisou que não dá para negar que provavelmente nada teria acontecido se não fosse a sua liderança forte, autêntica e carismática. “Ouso dizer que Padre Albino foi a maior liderança em promoção social que Catanduva jamais teve; suas obras comprovam isso; elas dizem mais que qualquer palavra, por mais eloquente que seja”, salientou, emendando: “Sucessores do legado de Padre Albino, hoje representado pelo Conselho de Curadores, temos consciência de que recebemos uma dificílima missão: a de manter viva e atuante sua obra, sem poder contar com seu carisma e sua inquestionável liderança”.

            Amarante lembrou que a Fundação Padre Albino “é hoje uma das mais importantes instituições nas áreas da saúde, da educação e da assistência social na região, empregando diretamente mais de dois mil funcionários, atendendo mais de 300 mil pacientes por ano e proporcionando ensino de qualidade a mais de 2.000 alunos. “Sendo uma instituição filantrópica, ou seja, sem fins lucrativos, a Fundação, assim como as demais do seu gênero, apura déficits constantes nos seus departamentos de saúde e assistência social em razão do sub-financiamento da tabela SUS. Junto com suas congêneres, atende mais de 50% de toda a média e alta complexidade dos pacientes SUS”, informou, completando que nos últimos sete anos a Fundação bancou do próprio bolso mais de R$ 65 milhões para manter funcionando os dois hospitais e o Recanto Monsenhor Albino. “Padre Albino, certamente, ficaria estarrecido com essa cifra”, afirmou, mas continuou: “Felizmente, por ter sido um visionário e prevendo toda essa dificuldade, também nos legou outras fontes de recursos, que ajudam a cobrir esses déficits”.

            Citou que graças às atuações dos representantes de Catanduva junto ao legislativo federal e estadual, a Fundação Padre Albino tem conseguido importantes recursos para viabilizar projetos de expansão e melhorias. “Estamos próximos de implementar mais um importante passo, que vai beneficiar a população de toda a região no combate ao câncer. De onde quer que esteja, Padre Albino deve estar muito feliz com isso”.

            Disse da felicidade de estar comemorando os primeiros cem anos da grande obra de Padre Albino, iniciada com a sua chegada a Catanduva. Considerou que “um dia talvez as sociedades não precisem mais de instituições como a Fundação Padre Albino, mas isso só será realidade quando o Estado for competente para prover os cidadãos em suas necessidades básicas. Então, as filantrópicas terão cumprido seu papel. Porém, receio que este dia ainda esteja muito longe, o que exige de cada um de nós seguir o exemplo de Monsenhor Albino; não podemos esperar que outros façam por nós o que é de nossa responsabilidade”. Por fim, convidou a todos para participarem das atividades dos 100 anos.

            Além   de Dr. Amarante, compareceram ao lançamento o Dr. Antonio Hercules, presidente do Conselho de Administração da Fundação Padre Albino; o prefeito Afonso Macchione Neto, secretários municipais, o deputado estadual Marco Vinholi (PSDB) e funcionários da instituição.

 

 

 

Galeria


HCC Catanduva – R. dos Estudantes, 225
Parque Iracema, Catanduva - SP, 15809-144
HOSPITAL DE CÂNCER DE CATANDUVA - HCC